home A Doença de Parkinson A Associação A Túlipa Links
 
As Publicações APDPk
APDPk | Associados
Delegações
Espaço Aberto
Glossário de Termos
Legislação
Notícias
Noticias Médicas
Protocolos
Serviços de Saúde Especializados
Videos Parkinson
Viver com Parkinson
Declaração de Privacidade On-line
Direção Documentos
Conselho Científico
Infarmed
 
Newsletter
insira o seu email, para receber a nossa newsletter periódica.
 
 
 
 
 
 
 
Associa Pro
 
Utilizador
Palavra-chave
 

 

   
Home » Noticias Médicas
 
 
Novo medicamento | Comentário do Dr. João Massano

A farmacêutica israelita, que se encontra entre as 20 maiores empresas mundiais na fabricação de medicamentos genéricos, informou em comunicado dos resultados de um extenso estudo sobre o Azilect que diz que o mesmo pode se transformar "no primeiro medicamento modificador da doença de Parkinson".

Na pesquisa, realizada durante 18 meses em 14 países, uma das maiores já realizadas sobre esta doença, foi avaliado o efeito do novo medicamento em 1.176 pacientes que sofrem de Parkinson em sua etapa inicial.

Os resultados confirmam que o medicamento "trava o desenvolvimento" da doença, e que "é seguro e tem grande tolerância" pelos pacientes, afirma a nota de imprensa.

Ben Zion Weiner, cientista-chefe da Teva, declarou que "este grande avanço científico vem resolver uma das necessidades mais críticas no tratamento do Parkinson".

O medicamento foi desenvolvido por dois pesquisadores do Instituto Technion de Haifa, Moussa Youdim e John Finberg, apesar de os direitos pertencerem à Teva, como no caso do Copaxone, que combate a esclerose múltipla.

As perspectivas do Azilect após o estudo clínico criaram grande expectativa em círculos financeiros que acompanham de perto a empresa israelense, já que o mercado de medicamentos para a DP supera os US$ 3,7 biliões por ano.

Agência EFE
17/06/08

A nosso convite O Dr. João Massano comentou esta notícia.

A rasagilina (Azilect®) é um fármaco já muito conhecido na área da Doença de Parkinson e está aprovado nesta doença em monoterapia ou para associação com a levodopa nos EUA desde 2006. Pertence ao mesmo grupo da selegilina (inibidores da MAO-B) e tem os mesmos efeitos terapêuticos, aumentando a quantidade de levodopa na fenda sináptica.

Não é propriamente uma revolução mas é, sem dúvida, mais uma opção no tratamento da Doença de Parkinson. E tem dados de eficácia comprovada em ensaios clínicos bem desenhados e conduzidos, tanto a nível dos sintomas motores em “on”, como na redução do tempo de “off”.

Provavelmente teremos também este medicamento em Portugal nos próximos meses (não sei quando).

Infelizmente, ainda não é o milagre necessário…

Dr. João Massano
Serviço de Neurologia, Hospital de S. João, Porto
Faculdade de Medicina da Universidade do Porto
Portugal

Não esqueça, para saber mais consulte o seu neurologista...

... consulte sempre o seu neurologista!

 

 
Saiba mais...TEVApharm
 
 
   
 
 
2012 © APDPk - Todos os direitos reservados