home A Doença de Parkinson A Associação A Túlipa Links
 
As Publicações APDPk
APDPk | Associados
Delegações
Espaço Aberto
Glossário de Termos
Legislação
Notícias
Noticias Médicas
Protocolos
Serviços de Saúde Especializados
Videos Parkinson
Viver com Parkinson
Declaração de Privacidade On-line
Direção Documentos
Conselho Científico
Infarmed
 
Newsletter
insira o seu email, para receber a nossa newsletter periódica.
 
 
 
 
 
 
 
Associa Pro
 
Utilizador
Palavra-chave
 

 

   
Home » Viver com Parkinson » Manual do Doente de Parkinson
 
Como tomar correctamente os seus medicamentos?

(.../...)
provocam por vezes grandes efeitos: com uma dose demasiado elevada, o tratamento pode provocar movimentos anormais, se a dose for insuficiente, provoca bloqueios. Deste modo, o conselhos seguintes devem ser ajustados em função de cada doente.

A apresentação dos medicamentos e o seu modo de absorção

1. Apresentação do medicamento: comprimidos, cápsulas...

Os medicamnetos sob a forma de cápsulas são absorvidos mais lentamente, mas são melhor suportados no início do tratamento. As formas LP (libertação prolongada) actuam lentamente mas durante mais tempo (3 a 4 horas), em relação às formas convencionais (2 a 3 horas); as  formas bebíveis actuam mais rapidamente, mas durante menos tempo. A duração do efeito de uma administração depende, assim, da preparação e do estádio da doença (doença no estádio inicial ou evoluido)

 2. A absorção dos medicamentos está sujeita a variações relacionadas com a motricidade do tubo digestivo, que pode ser lenta como a motricidade dos membros. Qualquer modificação do trânsito intestinal tem repercussões sobre a absorção dos medicamentos. Uma diarreia acelera o trânsito e diminui fortemente a absorção digestiva, acentuando em poucas horas os sinais da doença. Uma obstipação persistente prejudica a absorção digestiva e reduz a acção do tratamento.

TABELA DE TRATAMENTO

 

As tomas dos medicamentos relativamente às refeições

No caso de uma boa tolerância, recomenda-se que o tratamento seja tomado ao início da refeição. De uma forma geral, um medicamento tomado 20 minutos antes da refeição actua mais rapidamente e melhor; no meo da refeição, o seu efeito é intermediário; após a refeição é menos eficaz. Se o tratamento provocar naúseas ou ardor no estômago, é aconselhavel tomá-lo no meio ou no fim das refeições. Em cao de náuseas rebeldes, deve-se tomar um medicamento antináuseas 20 minutos antes da refeição. Não interrompa a toma do mesmo sem a indicação do seu médico.

Respeitar a forma do medicamento

Como para todos os medicamentos, não deve abrir as cápsulas, esmagá-las, mastigá-las ou dissolver as formas de libertação prolongada (LP), Pelo contrário, dissolva num pouco de água as formas dispersíveis.

Respeitar os horários

Se no início, os horários podem ser um pouco "elásticos", o mesmo não acontece quando a doença está mais avançada. Respeitar os horários permite estabelecer um ritmo para o organismo, determinar os mecanismos das flutuações e ajustar melhor o tratamento.

Não tomar doses a mais

A acinésia (anomalia do movimento) distingue-se da angústia e da fadiga física. Os medicamentos não podem ser tomados pontualmente, nem "como prevenção". A sobredosagem pela manhã provoca, muitas vezes, um bloqueio no começo da tarde (os receptores dopaminérgicos são demasiado estimulados ou saturados. Alguns doentes tomam medicação a mais pensando que os movimentos anormais estão associados a uma subdosagem (por vezes confundida com um "tremor"). Se ocorrer bloqueios importantes e em grande número, durante o dia, é conveniente estudar com o neurologista a folha de vigilância, a fim de mudar a dose, o conteúdo ou o número de tomas. Em caso de de bloqueio, é melhor evitar tomar um tratamento "a pedido", dado que este pode transtornar o equilibrio terapêutico durante vários dias.

 
 
   
 
 
2012 © APDPk - Todos os direitos reservados